Motolady e o Women's Motorcycle Show

Por Gabi Hoover


Imagine uma pessoa que não para. Agora multiplica por três. Pronto. Acho que pra descrever a MotoLady eu começaria assim.


O nome dela é Alicia Mariah Elfving. Jornalista, fotógrafa, customizadora e escritora. Alicia é também a fundadora do "Women's Motorcycle Show", uma exibição de motos construídas ou customizadas por mulheres, que esse ano chegou a sua 6ª edição, e que ocorreu entre os dias 21 e 23 de maio, no Texas.


O evento, reuniu 27 motos de autoria feminina e, também, foi palco para a revelação das motos do time americano do programa Build Train Race, promovido pela Royal Enfield. E, ainda, espaço para a realização de workshops de introdução a algumas especialidades do mundo custom, como solda, Pinstriping , arte em couro, etc. Todos oferecidos pelo programa Real Deal Revolution e The Jessi Combs Foundation.


Sem dúvidas o "Women Motorcycle Show" foi uma oportunidade de conhecer mulheres que estão fazendo a diferença nessa indústria, no cenário, e no mercado norte-americano. Uma extensão e inspiração para nosso projeto #ElasCustomizam que promove, apoia e incentiva o trabalho de artistas brasileiras em suas diferentes técnicas e habilidade. E, também, foi uma chance de sentar e conversar com a Alicia, no que eu chamaria de seu "habitat".


E até rolou um momento "tiéte" da minha parte. A MotoLady foi uma das minhas primeiras referências quando comecei pilotar e me envolver mais com a cena. Logo de cara, o fato de sermos jornalistas me chamou atenção, mas sua sagacidade e estilo me cativaram. Foram anos, acompanhando de longe o trabalho dessa garota. Eu marquei a viagem pro Texas, com o principal propósito de conhecê-la.


Nosso papo aconteceu na grama, sentadas a sombra de uma árvore pra fugir do calor e da humidade Texana, já no final do primeiro dia do evento. Eu ficara o dia todo esperando por uma brecha na agenda dela pra uma conversa rápida sobre o seu recém-lançado livro "The MotoLady's Book of Women Who Ride: motorcycle heroes, trailblazers & record-breakers" (O livro das Mulheres que Pilotam: Heroínas de Moto, Pioneiras, e Batedoras de Recordes), publicado pela MotorBooks.


No livro, Alicia traz o perfil de 74 mulheres, e conta qual foi/é a participação e a importância delas para a história das mulheres no motociclismo, e a influência delas na cultura duas rodas.


Durante nossa conversa, que foi interrompida algumas vezes para nos reposicionarmos à sombra, a Alicia me contou que levou dois anos pra escrever o livro, e que levantou a história de 110 mulheres. A ideia veio a partir de um convite da editora MotorBooks, que se aproximou dela com uma proposta inusitada. "Eles me deram carta branca pra escrever um livro sobre mulheres e moto, desde que não fosse baseado em peitos e bundas", ela me olhou e gargalhou.


Multitalentosa


A Alicia conversa com todo mundo, da risada alta, fala rápido, anda rápido, ela parece estar em todo lugar durante o evento. Ela me lembrou muito de alguma personagem de desenho da Nickelodeon. Dessas que usam roupa de combate, mas com uma estampa fofa na camiseta.


Em seu evento, uma das principais estrelas é sua Ducati Monster, chamada Pandora, que foi refeita por ela, com ajuda de muitos amigos. Aliás, ainda sobre o evento, a MotoLady é muito clara ao contar o seu propósito e explicar os quesitos para inscrever sua moto. "Não tem muita regra, mas é importante que a mulher tenha feito pelo menos um pouco. O Women Motorcycle Show quer incentivar as mulheres a fabricarem, a colocarem a mão em seus projetos. E se você fez, mesmo que um pouco do trabalho, isso já qualifica. "Ou você acredita que esses caras que expõem moto fizeram tudo da customização sozinhos?".


Eu até perguntei sobre planos futuros, mas a Alicia não gosta de falar sobre eles. Pra ela projetos são projetos, e se a gente fala muito sobre eles estamos falando e não fazendo. As vezes perdem o momento.


E daí... passou uma das meninas da Royal Enfield - a Mallary -, pra fotografar sua moto. Nos perdemos com a cena. Levantamos e fomos fotografar a moto também. Ou melhor, ela levantou e foi fotografar, eu tentei um videozinho rápido ali, com o Texas Motor Speed Way de pano de fundo.



Agora é com você e temos uma surpresa! 😍


Gostou dessa reportagem?! Deixa um comentário e assina nosso portal. Enquanto a Gabi estava lá no Texas, ela garantiu um exemplar autografado do livro "The MotoLady's Book of Women Who Ride" para o movimento #ElasPilotam.


A Gabi, que mora nos EUA, ainda não pode vir para o Brasil, mas quando ela chegar a gente vai mandar esse livro pra uma de nossas assinantes do Portal. E essa pessoa pode ser você.


Assine nossas redes sociais e o Portal pra ficar por dentro do movimento. E fique de olho!!

27 visualizações

Posts recentes

Ver tudo