Manifeste-se

Por Gabi Hoover e Bruna Wladyka


Diante dos acontecimentos que o mês de Maio de 2021 nos trouxe, o que podemos dizer para começar esse editorial é: abotoem seus capacetes, porque viemos pra fazer história. Vamos inventar moda sim, daquelas que marcam pessoas, séculos, e que são lembradas como referência entre as gerações.


E pra fazer história a gente tem que encarar a realidade e lutar por tudo o que a gente acredita, usando nossas melhores armas e estratégias de defesa. As nossas estão estampadas logo no cabeçalho desse Portal:


INFORMAR. PROMOVER. CONECTAR. INCLUIR. EMPODERAR. TRANSFORMAR.


Somos um movimento criado por e para mulheres. Com espaço para o diálogo, a troca, e, especialmente, com respeito às diferentes opiniões, culturas, estilos e cilindradas. Acreditamos na força e no poder de transformação dessas palavras. E a gente acredita tanto nisso, que seguimos firmes e determinadas com o #ElasPilotam, mesmo diante da realidade brasileira tão contraditória.

Nesse primeiro semestre de 2021, parece que o simples ato de se movimentar já foi um manifesto.

Manifesto

Eita palavrinha complicada, que chega carregada de significados, sinônimos, e - em um país tão dividido como está o Brasil - tão cheia de pré-conceitos.


Manisfesto significa uma "declaração trazida a público". E a nossa é essa:

Viemos para balançar as estruturas. Gritar. Mostrar nossa vontade de mudança.



A gente sabe que a situação não está fácil. Estamos vendo os números, escutando a voz de desespero de nossas amigas e amigos; estamos perdendo pessoas queridas; estamos sanitariamente exiladas, estamos à beira de um ataque de nervos. E ao mesmo tempo, vemos o respiro em outras partes do mundo. A Gabi, por exemplo, trazendo notícias de uma vida que volta a abrir e de pessoas que podem se aglomerar e se abraçar nos eventos nos EUA.


Felicidade não é utopia


Quando a gente torna algo público, significa que declaramos isso em alto e bom som. Esse desejo sai da esfera privada, do espectro da imaginação e da fantasia. Mesmo que não tenha acontecido nada ainda, tornar algo público seja, talvez, um dos primeiros passos para sua realização.


Daí vem a parte que a gente vai precisar de atenção, de coragem, e de determinação. Atenção pra enxergar quando as oportunidades se apresentarem. Coragem pra agarrar a oportunidade com as unhas e os dentes (se necessário). E determinação para não deixar que os obstáculos e as dificuldades nos desanimem.


É sempre muito mais confortável seguir pelo caminho conhecido. Evitar desvios e estradas esburacadas, assim como é mais fácil evitar polêmica. Acontece, que as estradas mais difíceis são, geralmente, aquelas que nos trazem as vistas mais lindas.


Entre nós, trocamos a palavra determinação por fé. Porque acreditamos que algo que nasce pro bem, vai gerar o bem. Esta aí a notícia do Built Train Race no Brasil pra comprovar. Um programa que começou com 4 mullheres norte-americanas; e que com um ano de vida não só incluiu mais uma categoria na grade Americana, mas ainda cresceu seu número de pilotas e expandiu internacionalmente.


Cobrimos um curso de pilotagem totalmente dedicado às mulheres. E no dia-a-dia percebemos o aumento de mulheres realizando entregas de moto, o aumento de habilitação e, consequentemente, a compra de motocicletas por mulheres.


Temos fé no projeto do #ElasPilotam, nas mulheres que nos acompanham e compartilham conosco suas histórias, suas experiências, e que sugerem temas para trazermos aqui. Temos fé em nós mesmas, na nossa vontade e na nossa gana por mudar e transformar a realidade das mulheres que gostam de moto.


Continuar em movimento tem a ver com manifestar a realidade que queremos viver. Mesmo em tempos difíceis, a gente segue olhando pra frente. Levamos conosco o aprendizado da história. Essa mesma história que, ao longo dos tempos, deixou registrada a versão de quem não desistiu da batalha e venceu no final.



"Quando juntas somos fortes. Quando unidas somos uma".







Posts recentes

Ver tudo