Não seja a garota do calendário, seja a dona da oficina

Por Bruna Wladyka


Estamos chegando ao final do mês de março e, mesmo que todos os dias sejam dias para celebrar as conquistas das mulheres ao longos dos anos, esse mês é mais especial porque nos permiti refletir ainda mais sobre como vai nossa luta por mais respeito, igualdade e ocupação em espaços ainda considerados masculinos.


Mulher na Oficina

A combinação mulher x moto já vem carregada de poder; e falar sobre mulher x moto x oficina faz o coração bater ainda mais forte. Pois sabemos o quanto esse espaço, além de ser predominantemente masculino, é um ambiente extremamente machista, carregado de estereótipos e tabus que todas as mulheres enfrentam diariamente, seja na busca por serviços ou colocando a mão na massa.

E a história que trago hoje, nos faz sorrir, abrir uma boa bebida e brindar. Brindar por todas as mulheres que nos tornaram o que somos hoje; por todas as que estão se movimentado para construir um presente melhor quebrando muitos paradigmas, e pela nova geração que está chegando com tudo carregando muita esperança ao nosso futuro.


É assim que a gaúcha Cíntia Goulart @CihGoulart (foto acima), de 32 anos, vem fazendo. Motociclista, customizadora, sócia proprietária da oficina John Ross Motorcycle, localizada em Rosário do Sul - RS [quase na divisa com o Uruguai] , e mãe da Melissa (Mel) de 3 aninhos.

"Sou uma apaixonada pela estrada, por viajar de moto, estar em contato com a natureza, e curtir um bom Rock n Roll."

Na foto, Cíntia com sua Harley-Davidson Fxr Chopper, anos 90, customizada na sua oficina por ela e seu esposo Nico.


A história dessa mulher a frente de uma oficina começou ainda na adolescência, quando a vontade de empreender no segmento duas rodas já pulsava nas veias. E, unindo com a mesma paixão do namorado, hoje seu esposo e sócio, Nico Ross, os dois jovens largaram tudo e foram realizar o sonho que tinham em conjunto. E por falar em sonho..


"A John Ross é um sonho muito antigo, e hoje uma conquista! Acho que não existe alegria maior do que trabalhar com o que se ama, os resultados são consequência, (clichê) mas a mais pura verdade."

Cíntia conta que na oficina os dois dividem todas as funções, da mecânica, pintura, até customizações mais complexas. Todos os processos passam por suas mãos, desde a preparação de peças, acabamento, polimento e toques finais. Ela também desenvolve e fabrica bancos artesanais, entre outros itens e acessórios para uma motocicleta.

"Um toque feminino nessa etapa faz toda a diferença, modéstia à parte"

E temos que concordam com ela, quando a mulher se envolve, tudo fica muito melhor.


Sobre os desafios do dia-a-dia:

"Desafios sempre irão existir, mas são eles que nos movem, que nos fazem sair da zona de conforto! Infelizmente existe ainda muito preconceito no universo do motociclismo, dentro das oficinas, e até mesmo na estrada. Eu já passei por situação de não passar para o cliente que certo trabalho tinha sido realizado por mim, e o cliente elogiar o meu marido pelo excelente trabalho..."

As mulheres estão enfrentando todo e qualquer desafio para fazer aquilo que gostam. Estamos vindo cheias de força, coragem e poder. Independente das escolhas de cada uma, uma coisa é certa, o futuro da Mel será incrivelmente libertador se continuarmos unidas, apoiando, levantando e puxando umas com as outras. "Quando uma mulher sobe, puxa outra com ela."