Alynne Almeida: uma aventureira conta sua história pelo mundo

Por Alice Castro


Há viagens tão longas que se iniciam primeiramente dentro de nós. A história que vou contar começou como tantos outros sonhos, e a partir de um grande desejo de conhecer o mundo antes dos 30 anos.


Escrito em um papel, um sonho de menina ficou guardado e esquecido por anos, mas a sua redescoberta foi o bastante para que a nossa amiga motociclista desse o primeiro passo para viver uma aventura incrível e inspiradora. E será sobre tudo isso em nossa matéria, onde vamos conhecer as muitas faces da Alynne, da motociclista e atleta de competição de enduro/trilha, à viajante e Mestre Yogi .

“Meu nome é Alynne Almeida, e foi em um processo de viagem pelo mundo que eu descobri a minha verdadeira essência, meu verdadeiro eu. A Nynne sem rótulos de piloto de enduro, analista de sistema, filha ou mulher. Simplesmente Nynne”.

Antes de continuar, cabe-me dizer que conheci a Alynne há mais de 8 anos, quando começamos o nosso grupo no facebook “Mulheres Motociclistas e Apaixonadas por Motos”. Na época, ela era uma das poucas trilheiras que eu acompanhava nas redes sociais, mas já bastante conhecida no meio off-road, onde competia e disputava provas de enduro como uma das poucas meninas no meio.


E eu virei fã de carteirinha! Desde então, nunca deixei de acompanhá-la, tanto nas pistas como em suas viagens, as quais logo mais vamos contar. Mas antes, vamos saber como começou sua paixão pelas motos.



“Minha paixão por motos começou no off-road, mais especificamente no enduro de regularidade.”

Da fotografia esportiva para competição Cross


Alynne começou fotografando eventos off-road e a convivência com o esporte foi mais que um incentivo para passar para as pistas: “quando vi eu estava pilotando, competindo em enduros de regularidade”.

“Como todos sabemos, depois que somos picados por esse bichinho do motociclismo nunca mais abandonamos. Por mais que a moto não esteja hoje mais tão presente na minha vida, ela continua sendo grande parte do que sou.”

À época das competições, por conta da sua personalidade inquieta e curiosa, Alynne logo passou a atuar também na organização desses eventos, como no campeonato brasileiro de enduro “Enduro FIM – Federação Internacional de Motociclismo”, da qual foi da Diretoria em Curitiba - PR.


Esse campeonato iniciou o formato das provas off-road no Brasil nos anos 90, e segue o modelo das provas do Campeonato Europeu (FIM European Enduro Championship), posteriormente adotado como modelo mundial para as provas de enduro. Para mais informações, acesse: www.cbm.esp.br

“Participei de todas as provas que eu sempre sonhei com piloto, como o “Enduro dos Pampas” e o “Enduro da Independência”.

O Enduro dos Pampas é considerado um dos mais difíceis do Brasil e realizado na Região Sul, já o “Enduro da Independência” é uma prova realizada anualmente à época comemorativa da própria Independência do Brasil, dura 4 dias e é bastante típica e tradicional na região de Minas Gerais.