Maciel e suas asas

Por Alice Castro

Fotos: arquivo pessoal


Quando o que nos limita somos nós mesmas, se vencemos o pessimismo (nosso e alheio), nada nos pára, certo?! Esse é o caso da Raphaela Maciel, conhecida das redes sociais como a Maciel, nome que ela escolheu para o seu Instagram - @prazermaciel.


Modelo fotográfico, proprietária criativa da marca OlgaZarra e mãe da pequena Olga, essa pilota capricorniana de 29 anos se apresenta “correndo contra o tempo e as adversidades da vida” com sua Intruder 125 cc. E é com sua moto que ela trabalha, entregando as peças que confecciona à mão para a sua marca, além de desbravar desafios pelas estradas do Centro-Oeste.


Bora então conhecer a história dela?!

O que mais acho bacana em tudo isso, é poder viver e me sentir realmente completa, fazendo as coisas que eu gosto e com as pessoas que eu gosto nos rolé.”

Por um lance do destino (ou diremos sorte mais tarde) com a perda de seu carro, que Maciel conquistou a sua "motinha". Pegou uma grana emprestada com seu amigo Boi (@duke_sk8) para não ficar sem condução, e realizou o sonho de pilotar há apenas 3 anos, mesmo já possuindo habilitação na categoria A desde os 18 anos.


“me lembro até hoje do dia que buscamos ela na lojinha de motos usadas, e eu sem nem saber o que estava fazendo, ou o que tinha que fazer em cima da motinha”

“Eu gosto muito de todos os estilos de moto, mas ao conhecer o Jimmy (@steelcustombsb), ele me mostrou que poderia ser muito possível ter uma moto legal e customizada, mesmo com a grana curta.”

E foi o que fez, após uma customização que durou apenas 2 meses, e que a levou vender seu vídeo game, celular e “um monte de coisas” para pagar a conta. Hoje sua moto, Pandora, lembra o estilo cafe racer bratstyle, e as suas customizações ainda não pararam.


“Após um acidente bem feio que tive com ela, aproveitei e mudei algumas coisas como guidão, escapamento e o marcador de combustível externo.”

Olhando por esse lado, Maciel nos passa o exato otimismo com que lida com os obstáculos. Para a gente ver que nada desanima essa garota!



Empreendedorismo


Mas antes da moto entrar na sua vida, foi a gravidez que a motivou, ao final de 2014, dar asas à sua criatividade com a marca Olgazarra. Cansada do emprego em shopping, e decidida ter tempo para se dedicar à maternidade, buscou algo que lhe propiciasse trabalhar dentro de casa.


Ao fim da licença-maternidade, investiu a grana que tinha em uma máquina de costura usada e, por meio de vídeos tutoriais no YouTube, aprendeu a costurar uma primeira camisa de botão. E deu certo!

Quando estava grávida e descobri que era uma menina, eu queria um nome pequeno e forte.” Por sugestão de um amigo escolhi Olga. Na época ninguém queria “Olga”, achavam nome velho, feio, tipo forte demais prá uma criança.


Ela nos conta que escutou tudo isso e mais um pouco. E um dia, conversando com outro amigo, ao desabafar a história do nome da sua filha, ele teria dito: “Ah, Rapha, coloca Olga. E quando ela nascer, você adota com cachorro e coloca de Zarra, aí fica “Olga Zarra”. E assim, desse jeito, surgiu o nome de sua grife.


Desde então, Maciel vem criando camisas e acessórios. Inicialmente para crianças, a demanda por modelos para adultos fez aumentar a sua linha de produção.

Uma coisa leva à outra


A sua marca abriu portas para que ela (re)descobrisse a sua vontade de pilotar. Verdade! Maciel conta que, ao expor no Brasília Capital Moto Week, conheceu a Geane e o Toninho, donos da marca @mortodefome, que encomendaram uma peça com ela.


Quando a Geane foi de moto buscar a encomenda lá em casa, até hoje lembro de pensar: “Uauuuu que mulher!”

Tempos depois, quando ambas expuseram seus trabalhos juntas, foi o convite da Geane para aprender a pilotar que deu o gatilho que faltava.


Muitas coisas aconteceram e estou muito feliz de estar onde estou, rodando e trabalhando com o que amo, podendo respirar sabe?! Existem dificuldades mas, com certeza, com tudo que isso me traz, eu me emociono e sinto o tanto que vale a pena.”






Incentivando outras garotas: We can do it!

Para finalizar, perguntamos para Maciel o que ela diria para as outras garotas que vão ler a sua história até aqui. E veja o que ela nos diz:

Essa pergunta foi de arrepiar. Eu sempre me emociono, porque tento me colocar no lugar das pessoas. A gente passa por tanta coisa!


Mas se a gente não luta pelo nosso sonho, ninguém vai lutar por ele, ou vamos acabar lutando pelo sonho de outras pessoas. Eu nunca me imaginei nessa posição de representatividade, até o momento que começo a ver e ter contato com meninas que se inspiram nisso tudo. Seja porque ando de moto, que seja pelo estilo de vida ou minha maneira de vestir. Meu maior incentivo para todas que leram essa matéria até o fim, é sempre terem amor nas coisas que querem fazer. Sejam persistentes, sonhem com os dois pés no chão. A maioria das coisas a gente só precisa começar. Ter fé e o pensamento positivo. Nada vem fácil, então vamos no peito e na raça! E se for para errar, que seja por uma escolha sua. Faça sempre o que te faz feliz e o que te completa. Estamos aqui só de passagem. Mas, juntas, somos mais fortes!


“Poder conhecer novos lugares e novas pessoas mesmo que seja naquele curto espaço de tempo. Cada um carrega a sua história e é lindo poder cruzar isso, mesmo que estejamos só de passagem.”


E aí? Curtiram? Nós, do Elas Pilotam, estamos acompanhando as peripécias da Maciel, esperando suas próximas aventuras.


Até porque ela é uma das nossas amigas que vem participando do desafio Rider Challenge® da Harley-Davidson do Brasil, e, quando o desafio terminar vamos contar mais sobre essas histórias

E para quem a desejar acompanhar as aventuras da Rapha e, também, conhecer seu trabalho pela OlgaZarra, segue lá nos perfis no Instagran: @prazermaciel e @olgazarraa


Posts recentes

Ver tudo